17.3 C
Caldas da Rainha
Sexta-feira, Junho 14, 2024

Jovem de 16 anos detida em Peniche pelo homicídio da irmã de 19

Uma menor de 16 anos foi detida em Peniche pela morte da irmã, de 19 anos, tendo confessado o crime, disse à Lusa fonte da Polícia Judiciária de Leiria.

A menor foi detida na sequência de investigações ao desaparecimento da jovem de 19 anos que, segundo o diretor do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Leiria, Avelino Lima, “culminaram ontem [quarta-feira] com a localização do corpo, num terreno próximo da casa”.

“Perante as provas, a menor acabou por confessar o homicídio, cometido por motivos fúteis”, acrescentou a mesma fonte, explicando que na base do crime estiveram “desavenças por causa de um telemóvel”.

O desaparecimento da jovem de 19 anos tinha sido participado pela mãe à PSP de Peniche, no distrito de Leiria, no dia 19 de agosto, no entanto, a progenitora, segundo fonte da PSP, disse desconhecer o paradeiro da filha desde o dia 14 do mesmo mês.

Por solicitação do Ministério Público, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria iniciou na sexta-feira investigações que culminaram “com a localização do corpo da desaparecida, num quadro de homicídio qualificado, detendo a autora”, informou hoje a PJ em comunicado.

Segundo a polícia, as diligências realizadas em Peniche, Caldas da Rainha e Grande Lisboa, “despistando as informações obtidas, das vivências da jovem dada como desaparecida, indiciaram que a factualidade, que se perspetiva trágica, teria ocorrido na área da residência”.

Das diligências de investigação realizadas na quarta-feira, junto dos familiares diretos, bem como da realização de vários exames e perícias, realizadas pela Equipa do Local do Crime do Laboratório de Polícia Cientifica da PJ, resultou “inequívoco que ocorrera uma morte violenta no domicílio da desaparecida”, pode ler-se no comunicado.

De toda a prova recolhida, concluiu-se que a jovem de 16 anos, “por motivo fútil, utilizando arma branca, desferiu um número de facadas não apuradas, provocando a morte da irmã, que havia sido dada como desaparecida”, esclarece a PJ no comunicado.

Os factos terão ocorrido no dia 15 de agosto, tendo a menor de 16 anos “lavado o interior da casa para ocultar pistas e enterrado o corpo nas traseiras da residência em terreno arenoso”.

À agência Lusa, Avelino Lima explicou que “havia uma desproporção de tamanho entre as duas jovens que poderá ter tornado possível que a mais nova tenha, sozinha, matado e enterrado a vítima”.

O corpo da jovem de 19 anos foi exumado e conduzido para autópsia no Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses de Torres Vedras.

A detida vai ser presente ao Tribunal de Leiria para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

Artigos Relacionados

Redes Socias

5,247FãsCurtir
2,571SeguidoresSeguir
31InscritosInscrever

Últimas Notícias