21.3 C
Caldas da Rainha
Quarta-feira, Julho 24, 2024

Feridos graves de Santa Margarida estão a recuperar “fisicamente muito bem”

O Presidente da República disse hoje que os dois militares feridos gravemente após uma explosão em Santa Margarida estão a recuperar “fisicamente muito bem” e que “as especulações” sobre o seu estado de saúde “não tinham fundamento”.

Em declarações aos jornalistas no polo de Lisboa do Hospital das Forças Armadas (HFAR), pouco depois de ter visitado os dois militares que ficaram gravemente feridos na explosão em Santa Margarida – e que foram transferidos de Coimbra – Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que estes militares estão a recuperar “fisicamente muito bem”.

“Aqui encontrámos os dois que vindos de Coimbra, depois dos exames efetuados, e a recuperarem fisicamente também muito bem”, adiantou o Presidente, depois de esta manhã ter estado com os restantes três feridos ligeiros no Hospital de São José, em Lisboa.

O chefe de Estado estava acompanhado pela ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, o chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), general Nunes da Fonseca, e o Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general Mendes Ferrão.

“E, nesse sentido, pode dizer-se que as preocupações que havia ontem e as especulações que houve não tinham fundamento, felizmente, quanto ao estado físico de nenhum dos militares com quem a senhora ministra, o senhor CEMGFA, o senhor CEME e o senhor diretor do hospital estivemos”, afirmou.

O Presidente da República insistiu que o acidente que ocorreu era “de uma probabilidade muito, muito limitada” e deixou uma palavra de reconhecimento ao Hospital das Forças Armadas.

“E aqui a palavra que é devida é a este hospital, agora, tal como noutras circunstâncias, tem uma função muito importante e vai continuar a acompanhar a evolução clínica dos militares atingidos”, elogiou.

Durante estas declarações, Marcelo Rebelo de Sousa foi ainda questionado se considera importante que o Ministério Público (MP) tenha aberto um inquérito sobre aquele incidente.

“Sabe que isso é quase de chapa, chamemos assim. O MP, nestas circunstâncias, tem o dever de fazer isso, e mal seria se não fizesse. Fez sempre, nos poucos casos em que isso ocorreu. Devia fazer, não há nada de anómalo ou de patológico nisso”, declarou o também Comandante Supremo das Forças Armadas.

O Ministério Público (MP) instaurou uma investigação sobre a explosão de quinta-feira no Campo Militar de Santa Margarida, distrito de Santarém, que provocou um morto e cinco feridos, confirmou hoje a Procuradoria-Geral da República (PGR).

A explosão ocorrida na quinta-feira no Campo Militar de Santa Margarida, em Constância, provocou um morto, dois feridos graves e três feridos ligeiros.

O Exército emitiu vários comunicados na quinta-feira, expressando profundo pesar pela morte do militar no decorrer de uma “explosão inopinada” – ou seja, não programada – durante uma operação de inativação de explosivos no Campo Militar de Santa Margarida, que provocou ainda cinco feridos.

Num comunicado anterior, o Exército tinha referido a ocorrência de uma “explosão inadvertida”.

O ramo abriu um processo de averiguações à explosão que ocorreu cerca das 16:40 de quinta-feira, no decorrer de uma operação de inativação de explosivos.

Artigos Relacionados

Redes Socias

5,247FãsCurtir
2,571SeguidoresSeguir
32InscritosInscrever

Últimas Notícias