21.3 C
Caldas da Rainha
Quarta-feira, Julho 24, 2024

FC Porto passa finalmente a ser ‘dono’ dos quatro cetros nacionais em simultâneo

O FC Porto ficou hoje ineditamente na posse simultânea dos quatro principais títulos do futebol nacional, ao bater o Sporting (2-0) na Taça da Liga, após ter dominado as edições 2021/22 da I Liga, Taça de Portugal e Supertaça.

No Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, os golos do canadiano Stephen Eustáquio (10 minutos) e do espanhol Iván Marcano (86) sentenciaram a final da 16.ª edição da prova mais jovem do futebol profissional português, que os ‘azuis e brancos’ nunca tinham vencido, após já terem perdido em 2009/10, 2012/13, 2018/19 e 2019/20.

Os últimos dois desaires tinham acontecido sob orientação de Sérgio Conceição, que, à quinta participação na ‘final four’ da Taça da Liga, completou o seu palmarés individual e do FC Porto – vencedor de 30 edições da I Liga, 18 Taças de Portugal, 23 Supertaças Cândido de Oliveira e quatro do extinto Campeonato de Portugal – nas provas nacionais.

Em janeiro de 2019, em Braga, os ‘dragões’ perderam com o Sporting no desempate por penáltis (1-3, após 1-1 no tempo regulamentar), num confronto em que o neerlandês Bas Dost (90+2 minutos) respondeu ao tento inaugural do brasileiro Fernando Andrade (79).

Alex Telles ainda converteu a primeira conversão da marca dos 11 metros, antes de Éder Militão atirar ao lado, Renan Ribeiro defender o remate de Hernâni e Felipe estremecer a barra, enquanto Bas Dost, Bruno Fernandes e Nani mostraram eficácia nos ‘leões’, que apenas falharam uma tentativa, com Sebastián Coates a chutar por cima do ‘travessão’.

Um ano depois, também na ‘Pedreira’, o FC Porto voltou a vacilar nos detalhes e Ricardo Horta (90+5 minutos) deu o êxito ao Sporting de Braga (0-1), então orientado por Rúben Amorim, atual treinador do Sporting, quando já se aguardava nova decisão nos penáltis.

A outra Taça da Liga arrebatada pelos ‘arsenalistas’ também se proporcionou com uma vitória tangencial sobre os ‘dragões’, de Vítor Pereira, que viram o brasileiro Alan (45+2 minutos), ex-dianteiro portista, resolver a final de 2012/13 de penálti (0-1), em Coimbra.

Três épocas antes, no Algarve, o Benfica prevaleceu com categóricos 3-0 face ao então tetracampeão nacional FC Porto, comandado por Jesualdo Ferreira, graças aos golos de Rúben Amorim (10 minutos), Carlos Martins (45) e do paraguaio Óscar Cardozo (90+2).

Os ‘azuis e brancos’ quebraram hoje uma ‘maldição’ em vigor desde 2007/08, temporada de lançamento da Taça da Liga, para a juntar aos cetros de campeão nacional, da Taça de Portugal e da Supertaça Cândido de Oliveira arrebatados entre maio e julho de 2022.

Esse cenário nunca foi experienciado pelo Sporting, ao contrário do Benfica, que esteve na posse dos quatro maiores troféus do futebol profissional luso desde abril de 2014 até maio de 2015, numa série terminada com a conquista da prova ‘rainha’ pelos ‘leões’, que bateram nos penáltis o Braga, ‘carrasco’ das ‘águias’ nos ‘oitavos’ da edição de 2014/15.

Artigos Relacionados

Redes Socias

5,247FãsCurtir
2,571SeguidoresSeguir
32InscritosInscrever

Últimas Notícias