15.2 C
Caldas da Rainha
Quarta-feira, Maio 22, 2024

Câmara de Mafra exorta Governo a resolver problemas do Hospital Beatriz Ângelo

A Câmara de Mafra exortou hoje o Ministério da Saúde a resolver os problemas do Hospital Beatriz Ângelo, lamentando a degradação da qualidade do serviço aí prestado aos doentes.

Numa moção aprovada hoje por unanimidade pelo executivo, a que a agência Lusa teve acesso, o município lamenta “profundamente o atual cenário de degradação da qualidade do serviço prestado aos doentes, manifestando publicamente a sua preocupação” relativamente à situação do Hospital Beatriz Ângelo, localizado em Loures.

Além do município de Loures e de Mafra, o Hospital Beatriz Ângelo serve os concelhos de Odivelas e Sobral de Monte Agraço.

No texto, a autarquia de Mafra exorta a tutela a, “independentemente do modelo adotado para a gestão do hospital, garantir condições quer para a valorização dos profissionais de saúde existentes, assegurando a retenção do talento, quer ainda para a contratação urgente dos trabalhadores necessários à resolução do problema da escassez de recursos humanos”.

Reiterando o pedido de uma “reunião urgente” com o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, a Câmara de Mafra alerta também na moção para a “crescente degradação da qualidade do serviço prestado por este hospital, em grande medida devido à falta de profissionais de saúde”.

O executivo da Câmara de Mafra é composto por sete eleitos pelo PSD e dois pelo PS.

Desde quarta-feira que a urgência pediátrica do hospital de Loures passou a funcionar apenas de segunda-feira a sexta-feira, entre as 09:00 e as 21:00.

O ministro da Saúde Manuel Pizarro já anunciou que o plano para o funcionamento regular da pediatria na Área Metropolitana de Lisboa será conhecido na próxima semana.

Na quarta-feira, 11 chefes de equipa do Serviço de Urgência Geral da unidade demitiram-se do cargo, justificando, numa carta de demissão consultada pela Lusa, que o hospital vive “os piores momentos da sua história” devido à “escassez de recursos humanos”.

Em declarações à RTP, a presidente do conselho de administração do Beatriz Ângelo pediu um regime de exceção para facilitar contratações, estimando serem precisos cerca de 60 médicos e lembrou que desde dezembro saíram seis pediatras, mas que só foi possível recrutar três em regime de prestação de serviços.

Entre as 09:00 e as 21:00 de sábados e domingos, a assistência às crianças e adolescentes com doença urgente que sejam da área de referência do Hospital Beatriz Ângelo será assegurada pelo Hospital São Francisco Xavier, Santa Maria e Dona Estefânia, todos no concelho de Lisboa, enquanto, no período noturno de todos os dias, o atendimento é feito pelas últimas duas unidades.

Artigos Relacionados

Redes Socias

5,247FãsCurtir
2,571SeguidoresSeguir
31InscritosInscrever

Últimas Notícias